Saiba como preservar a pintura do veículo dos efeitos da maresia

Após as férias na praia, é fundamental tomar alguns cuidados simples para conservar a cor e o brilho do seu carro .

Maresia – O verão já está no fim, mas para quem mora no Rio de Janeiro isso não impede que o carro fuja da maresia. Muitos que não moram em praias por aqui, ainda assim têm contato mais próximo com regiões oceânicas por conta das idas às praias cariocas ou viagens à Costa Verde ou à tradicional Região dos Lagos.

Por isso, se você é um desses e ainda não se atentou aos danos que a “brisa marítima” traz ao seu veículo, não desanime, ainda dá tempo!
Para ajudar a resolver esse problema, o Brasil Mecânico traz um material desenvolvido pelo supervisor de Desenvolvimento da PPG, Ricardo Vetorazzi, com dicas de como manter a cor do seu veículo em ordem. Confira a seguir os detalhes para evitar a maresia:

Lavagem

“Ao realizar a lavagem em casa, use um sabão de pH neutro. Não utilize gasolina, álcool ou outros solventes na superfície pintada”, alerta Vetorazzi. No caso de eventual queda do sabão, lembra o especialista, é importante lavar a área afetada imediatamente com água. Também é importante secar o carro para evitar o acúmulo de novas sujeiras e manchas na pintura.
Outro cuidado relevante é evitar a utilização de métodos automáticos, caso o veículo esteja recém-pintado. É recomendável recorrer ao método somente 30 dias após o serviço. A mesma lógica vale para a aplicação de cera, mas neste caso depois de 90 dias.

Materiais utilizados

Produtos que utilizam água como base e os de alto sólidos garantem uma durabilidade superior aos convencionais de mercado.
O especialista pondera que o conhecimento do profissional na preparação e aplicação dos produtos é essencial. O ideal é que ele seja qualificado para fazer o melhor uso de um produto com desempenho superior. Boas práticas e conservação da limpeza do ambiente também contribuem para a prolongação da vida-útil da pintura ou repintura.

Evitar maus hábitos

Ainda sobre a vida-útil da pintura e repintura, Vetorazzi afirma que uma boa maneira de preservá-la é não exagerar nos polimentos. Segundo ele, a frequência deles não ajuda tanto na conservação da pintura ou repintura, quanto se imagina. E ainda garante: estes cuidados valem para veículos de todas as cores, inclusive brancos.
“Apesar de, atualmente, as tecnologias de aplicação original serem iguais, a montadora varia a cor do carro, utilizando o mesmo verniz como camada de proteção final da cor, o que nem sempre assegura sua durabilidade”, explica o especialista.
Ele destaca que, caso ocorra algum problema na pintura do veículo, o proprietário deve procurar um profissional qualificado, que fará uma avaliação do reparo que deverá ser feito. Muitas vezes, o reparo é um simples polimento e em outros é necessário remover a tinta e o tratamento começar na chapa do carro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *