Tudo que você precisa saber sobre correias

Manual sobre correias – Parte 1

Se existe uma coisa que o consumidor final gosta é de receber um excelente atendimento, principalmente quando o assunto é seu carro. Não é à toa que as marcas, as fábricas e oficinas mecânicas preferidas são aquelas que transmitem mais segurança e priorizam informações claras quanto a seus produtos e serviços.

Assim como o óleo, pastilhas de freio e amortecedores, as correias automotivas, utilizadas no motor, também sofrem desgastes e devem ser substituídas antes de comprometer o funcionamento do veículo.

As correias do motor são os componentes que fazem as engrenagens funcionarem. Essa informação é básica, mas já dá uma boa ideia da dimensão que tem para o veículo o trabalho correto desses itens. E é pensando na importância das correias que o Brasil Mecânico traz um manual elaborado pela Dayco, referência no assunto, para ajudar um pouco você, reparador mecânico.

O rompimento de uma correia dentada gera o empenamento das válvulas em razão do choque com pistões. A troca dentro das quilometragens indicadas custa em média 8 vezes menos que a reparação dos danos gerados por uma eventual quebra da correia.

A troca preventiva das correias deve ocorrer entre 40 e 50 mil km. Consulte sempre o manual do veículo.

E se o passo a passo da troca das correias deve ser, apesar de trabalhoso, um processo totalmente assimilado pelo reparador, é fundamental também que entenda o funcionamento de cada correia para passar segurança ao cliente sobre o seu trabalho. Afinal, tão importante quanto o serviço bem executado pela oficina, é a confiança do dono do carro.

Controle periódico das correias

Os controles periódicos das correias do seu carro, assim como a manutenção preventiva, podem evitar muitas preocupações desnecessárias. Cada carro possui em seu manual de instruções a quilometragem indicada para a troca, porém alguns fatores podem ajudar no diagnóstico para a reposição.

 Aspecto visual da correia.
Histórico de manutenção do veículo, última troca da correia.
 Se os tensionadores foram substituídos na última troca.
 Condições de uso são severas?

Em caso de dúvida, não hesite em substituir a correia, pois os gastos posteriores gerados por uma má aplicação ou um retardamento de aplicação com certeza serão muito maiores que o custo da reposição.