O impacto do fluido de transmissão automática na saúde do seu veículo

Pela primeira vez, os veículos sem o pedal de embreagem devem ser maioria no Brasil. De acordo com estudo da Bright Consultoria, os carros automáticos devem representar 51,33% da frota brasileira. Com este novo cenário, o consumidor deve atentar-se que este tipo de automóvel requer maior manutenção preventiva, especialmente em relação a troca do fluido de transmissão.

A transmissão de um veículo é um conjunto de componentes que tem como principal objetivo levar a energia produzida pelo motor até as rodas e regular a força da troca das marchas. A transmissão automática difere da convencional pois não precisa da ação do motorista para selecionar manualmente as marchas, que passa a ser feita de maneira automatizada. Com a evolução das transmissões e a constante busca de performance e economia de combustível, as montadoras foram diversificando a composição e os materiais utilizados para melhorar a eficiência dos conjuntos, demandando a necessidade de aplicar fluidos específicos para cada tipo de transmissão seguindo as homologações dos fabricantes.

como fazer a drenagem do fluído dos freios

Benefícios do fluido de transmissão automática de qualidade

Para os automóveis com transmissão automática, os avanços tecnológicos significam que nunca foi tão importante selecionar corretamente o Fluido de Transmissão Automática (ATF), para garantir o desempenho desejado. Cada transmissão automática possui sua característica de trabalho conforme cada montadora, trabalhando em temperaturas e rotações diferentes. Elas possuem características diferentes e, por isso, exigem um fluido específico para cada tipo de transmissão, contemplando aditivos e componentes projetados para atender a aprovação da montadora.

Para um prolongamento da vida útil do câmbio é imprescindível a troca correta do fluido, sempre dentro dos prazos estipulados pelo fabricante da transmissão. Se a troca de fluido de transmissão não for realizada no período indicado, podem acarretar problemas como perda de potência do motor, dificuldade na troca de marchas e desgastes de componentes internos que podem gerar até a quebra do câmbio.

Como escolher o fluido de transmissão automática correto?

Estar atento a qualidade do fluido e escolher sempre aquele aprovado ou homologado pelo fabricante. Economizar utilizando os óleos mais baratos podem ser um problema, já que os fluidos com preços abaixo da média, não possuem regulamentação e encurtam a vida do conjunto, uma vez que não contêm os aditivos adequados e/ou não atingem a quantidade adequada para a transmissão, provocando um grande prejuízo em curto prazo.

Outro cuidado importante é com o líquido de arrefecimento do motor, que além de refrigerar o motor também mantém a temperatura ideal de trabalho nos fluidos das transmissões automáticas. Se o motor ferver, por exemplo, o câmbio também superaquece e os componentes podem ficar comprometidos. Assim como os fluidos de transmissão automática, é fundamental utilizar líquidos de arrefecimento homologados pelas montadoras. Para certificar-se se está utilizando o fluido correto é importante verificar o manual dos automóveis.

Investir em um fluido de transmissão corretamente homologado aumenta a eficiência de combustível e melhora a experiência de condução, proporcionando a tranquilidade durante a vida útil do veículo.

Fonte: www.fuchscomunicacao.com