Mobiauto faz pesquisa inédita com 56 picapes (diesel e flex): há modelos que valorizaram 30% em 16 meses

Os proprietários de picapes de porte médio sorriem à toa no Brasil. Talvez não haja qualquer outro segmento com um comportamento tão virtuoso. A partir um levantamento exclusivo da Mobiauto, start-up do segmento automotivo que mais cresceu em 2020, transformando-se em um dos três maiores marketplaces de carros usados do país, que levou em consideração as cotações de 56 modelos e versões 2020 de picapes vendidas no Brasil, somente uma única versão perdeu cotação. Ou seja: 55 modelos valem mais hoje do que em janeiro do ano passado. 

  • Modelos seminovos 2020 valorizaram 18,2% em média no período de janeiro de 2020 a maio de 2021; 
  • Segmento de extrema procura no mercado de usados, 55 picapes tiveram alta nos preços nos últimos 16 meses. Apenas um modelo perdeu valor; 
  • Das dez mais valorizadas, oito são movidas a diesel (duas flex); a grande campeã de valorização é a Ford Ranger XLS 2.2 Turbodiesel 4×4 AT Cab. Dupla; 
  • Do lado de baixo do ranking, as dez mais desvalorizadas apontam seis versões a diesel e quatro flex. A pior performance de todo o segmento foi da Fiat Toro Volcano 2.4 16V Flex. 

A média de valorização também é significativa: 18,2%. Acima desse patamar, inclusive, a Toyota foi a montadora que mais se deu bem. Das 29 picapes que ganharam preço acima dessa média, a Hilux contou com praticamente metade das “campeãs”: 14 versões. Mas foi a Ford Ranger XLS 2.2 Turbodiesel 4×4 AT Cab.Dupla a grande vencedora de valorização: 32,8%. Ela podia ser comprada por R$ 125,3 mil em janeiro de 2020. A mesma picape vale hoje R$ 166,4 mil. 

“As picapes compõem um capítulo à parte em nosso mercado. Além da clientela muito fiel, tanto no campo como nas cidades, elas ainda têm a fama da durabilidade, principalmente quando equipadas com motores a diesel. Na prática, elas não desvalorizam. Ao contrário: você usa por quase um ano e meio e ela passa a valer mais do que antes”, informa o especialista automotivo Sant Clair Castro Jr., CEO da Mobiauto, destacando, dentre as mais valorizadas, as múltiplas versões de Toyota Hilux e Ford Ranger como os grandes destaques. 

Ao analisar o “top ten”, o executivo da start-up defende que, apesar da ótima performance dos modelos da Toyota e da Ford, os resultados mostram que o segmento como um todo é bastante apreciado pelos consumidores. “Das 29 versões valorizadas acima da média, você encontra exemplares também de VW Amarok, Chevrolet S10, Mitsubishi L200, Nissan Frontier e Fiat Toro, ou seja, praticamente todas! Isso quer dizer que é a categoria de picapes em geral que possui ótima performance no mercado”, explica. 

Abaixo, você confere as listas das 10 melhores picapes em valorização nos últimos 14 meses. 

Do lado de baixo do ranking, as menos valorizadas compõem um cenário bastante diferente, em que a Fiat Toro rouba a cena. Das dez piores, as versões da picape produzida em Goiana, PE, desdobram-se em sete. De acordo com Castro Jr., a aceitação da Toro no mercado de usados é inquestionável, visto que sempre se posiciona entre as mais vendidas do segmento como zero km. “Essa condição é sazonal. Com a chegada da versão reestilizada, poucas semanas atrás, os modelos 2020 estacionaram momentaneamente suas cotações, uma vez que é praxe no mercado evitar a aquisição de um modelo em seu último ano de ‘carroceria antiga’. Mas isso é circunstancial. Creio que ela retorne rapidamente às boas médias”, destaca.  

Outro ponto mencionado por Sant Clair Castro Jr. diz respeito à fila de espera da versão zero km. “A Fiat está conseguindo manter um nível de produção mais alto de Toro, ou seja, tem mais unidades zero km abastecendo o mercado, então não puxa tanto assim as cotações de usados”, complementa. 

(Em anexo, segue a lista completa do comportamento de mercado das 56 modelos e versões de picapes.) 

e-Pincigher Comunicação Corporativa

Mobiauto