Resumo da coletiva de imprensa da Honda sobre eletrificação e transformação de negócios

Eletrificação e transformação – Honda apresenta seu progresso em direção à eletrificação e transformação de negócios para o futuro

Tóquio, Japão, 12 de abril de 2022 – A Honda Motor Co. realizou uma coletiva de imprensa sobre suas iniciativas no negócio de eletrificação de automóveis com a participação dos seguintes executivos da marca:

Toshihiro Mibe, Director, President and Representative Executive Officer

Kohei Takeuchi, Director, Executive Vice President and Representative Executive Officer

Shinji Aoyama, Senior Managing Executive Officer

1. Iniciativa da Honda para eletrificação

A Honda está dedicando esforços para ser uma empresa que serve como uma fonte de “energia” que apoia pessoas ao redor do mundo que estão tentando fazer coisas com base em sua própria iniciativa e que ajuda as pessoas a expandir seu próprio potencial. Para isso, a Honda se esforça para realizar “a alegria e a liberdade da mobilidade”, buscando uma “pegada ambiental zero”.


Solidificando os negócios existentes>

Ao longo dos últimos anos, a Honda vem realizando várias iniciativas no sentido de “solidificar os negócios existentes” e “preparar-se para um novo crescimento” e essas iniciativas começaram a mostrar resultados positivos nas áreas de produtos, negócios e novas tecnologias.

  • A estrutura do negócio de automóveis da Honda tem melhorado constantemente. Nesse momento, o número total de variações de versões e graus de opções para modelos globais foi reduzido para menos da metade do número em 2018 (Meta: redução para um terço até 2025).
     
  • Quanto ao custo associado à produção mundial de automóveis, a Honda está a caminho de atingir sua meta de redução de 10%, em relação ao custo registrado em 2018.

A Honda continuará acelerando seus esforços para gerar recursos, solidificando os negócios existentes e investindo esses recursos na eletrificação e na preparação para um novo crescimento.

Como o maior fabricante de motores do mundo, com vendas anuais de aproximadamente 30 milhões de unidades de produtos de mobilidade, incluindo motocicletas, automóveis, produtos de força, motores de popa e aeronaves, nosso objetivo é alcançar a neutralidade de carbono para todos os produtos e atividades corporativas em que a Honda está envolvida até 2050, esforçando-nos para eliminar as emissões de carbono de fontes de energia de uma ampla variedade de produtos. Para isso, a Honda acredita que é necessária uma abordagem multifacetada e multidimensional, não apenas a substituição de motores por baterias.

Incluindo a utilização de baterias intercambiáveis e hidrogênio, bem como a eletrificação de automóveis, a Honda oferecerá uma variedade de soluções para todos os seus produtos de mobilidade de acordo com a utilização dos clientes em vários países e regiões.

Além disso, com a plataforma conectada, que une todos esses elementos, a Honda aumentará a conveniência e a eficiência da sociedade como um todo.

No passado, a Honda dividia sua operação por produtos, ou seja, motocicletas, automóveis e produtos de força. No entanto, a partir deste ano fiscal, as áreas de tecnologia, que se tornarão o núcleo da futura competitividade da Honda, foram transferidas de suas respectivas organizações baseadas em produtos e combinadas sob a recém criada área de Operações de Desenvolvimento de Negócios. As áreas centrais são: produtos e serviços eletrificados, bateria, energia, Mobile Power Pack, hidrogênio e software/tecnologias conectadas que integram todas as áreas centrais. Com essa mudança, a Honda irá acelerar a velocidade com que pode se mover e aprimorar a sinergia entre domínios cruzados de seus produtos.

2. Iniciativa para a eletrificação no negócio de automóveis


Estratégia de aquisição de baterias

O principal desafio na era dos EV é a aquisição global de baterias. A Honda tem duas abordagens básicas para sua estratégia de aquisição de baterias:

1) No momento atual:

A Honda garantirá a aquisição estável de baterias de íon de lítio líquido em cada região, fortalecendo a parceria externa.

  • América do Norte: Honda comprará baterias Ultium da GM. Separadamente, além da GM, a Honda está explorando a possibilidade de criar uma joint venture para a produção de baterias.
  • China: A Honda fortalecerá ainda mais a colaboração com a CATL.
  • Japão: A Honda adquirirá baterias para mini-EVs da Envision AESC.

2) A partir da segunda metade da década de 2020:

A Honda acelerará ainda mais sua pesquisa e desenvolvimento independente de baterias da próxima geração. Para as baterias em estado sólido, que está atualmente em desenvolvimento, a Honda decidiu construir uma linha de demonstração, investindo aproximadamente 43 bilhões de ienes, com o objetivo de torná-la operacional em 2024. A Honda pretende adotar suas baterias de próxima geração para os modelos a serem introduzido no mercado na segunda metade da década de 2020.

Os planos específicos para a introdução no mercado de modelos EV são:

1) De agora até a segunda metade da década de 2020:

A Honda apresentará produtos adaptados às características de mercado de cada região.

  • América do Norte: Em 2024, a Honda apresentará dois modelos EV de médio a grande porte atualmente sendo desenvolvidos em conjunto com a GM. (Marca Honda: SUV Prologue totalmente novo, marca Acura: um modelo EV SUV).
  • China: Honda apresentará um total de 10 novos modelos EV até 2027.
  • Japão: No início de 2024, a Honda apresentará pela primeira vez um modelo mini-EV de uso comercial na faixa de preço de 1 milhão de ienes. Então, a Honda está planejando fazer a introdução oportuna de mini-EVs e SUVs EV de uso pessoal.

2) A partir da segunda metade da década de 2020:

Assumindo que se tornará o momento da popularização dos EVs, a Honda começará a apresentar os melhores EVs a partir de uma perspectiva global.

  • Em 2026, a Honda começará a adotar o Honda e: Architecture, uma plataforma EV que combina a plataforma de hardware e a plataforma de software.
     
  • Por meio da aliança com a GM, a Honda planeja introduzir EVs acessíveis em 2027, com custo e alcance tão competitivos quanto os veículos movidos a gasolina, começando na América do Norte.

Por meio dessas iniciativas, a Honda planeja lançar 30 modelos EV globalmente até 2030, com uma linha completa, desde mini-EVs de uso comercial a modelos topo de linha, planejando um volume de produção de mais de 2 milhões de unidades anualmente.

Produção EV>

Quanto às operações de produção de EVs, na China, a Honda planeja construir uma fábrica dedicada em Guangzhou assim como em Wuhan.

A Honda também está planejando uma linha de produção de EV dedicada na América do Norte.

3. Fortalecimento das áreas de tecnologias conectadas/software

A Honda está dedicando esforços para oferecer maior valor não apenas com cada um de seus produtos, mas também quando vários produtos Honda se conversam e realizam uma conectividade além de seus domínios.

A chave para alcançar tal conectividade são as tecnologias e estruturas, nas quais a Honda posiciona seus produtos eletrificados como “terminais” e conecta a energia e as informações armazenadas em cada produto com seus usuários e a sociedade. Portanto, a Honda trabalhará no estabelecimento da plataforma conectada entre domínios cruzados, que criará um novo valor para seus clientes.

Nas áreas de tecnologias de eletrificação, incluindo baterias, bem como software e tecnologias conectadas, para acelerar seus esforços de desenvolvimento, a Honda se esforçará para um aprimoramento significativo das capacidades de desenvolvimento, que incluirá o fortalecimento do recrutamento de recursos humanos fora da Honda.

Além disso, nessas áreas, a Honda buscará proativamente a colaboração e alianças inter-industrias, bem como investimentos em startups.


4. Estratégias financeiras que apoiam a transformação dos negócios da Honda

Ao mesmo tempo em que avança na eletrificação, a Honda mudará o foco dos negócios de vendas não recorrentes de hardware e se esforçará para transformar o portfólio da Honda combinando hardware e software para expandir as conexões com seus clientes e o alcance de seus negócios. Além disso, após 2030, a Honda fortalecerá seus negócios de soluções combinadas e também negócios em novas áreas. Para concretizar essa transformação do portfólio de negócios, a Honda vem se esforçando para solidificar seus negócios existentes.

Melhoria da estrutura de lucros

Além de seus esforços constantes para solidificar os negócios existentes, a Honda se esforçou para reduzir custos em todas as direções, ao mesmo tempo em que enfrentava um ambiente de negócios difícil devido a questões como a pandemia e escassez de semicondutores. Como resultado, a estrutura de negócios vem melhorando e a Honda está confiante de que seus esforços contínuos permitirão alcançar adequadamente o retorno sobre vendas (ROS) de mais de 7%, que era a meta de médio a longo prazo da Honda. Além disso, o saldo líquido de caixa foi de 1,9 trilhão de ienes (no final do terceiro trimestre encerrado em 31 de dezembro de 2021), mantendo um nível saudável.

  • A Honda orçará aproximadamente 8 trilhões de ienes para suas despesas de pesquisa e desenvolvimento. De todas as áreas de P&D, a Honda está planejando investir aproximadamente 5 trilhões de ienes nas áreas de eletrificação e software (aproximadamente 3,5 trilhões de ienes para despesas de P&D e aproximadamente 1,5 trilhão de ienes para investimentos).
     
  • Para a preparação de um novo crescimento, incluindo novas áreas de tecnologia e circulação de recursos, a Honda investirá aproximadamente 1 trilhão de ienes nos próximos 10 anos.
     
  • A Honda estará ativa no investimento em startups com tecnologias avançadas e de alto potencial de escala do modelo de negócio em uma escala de 10 bilhões de ienes por ano, o que expandirá a gama de tecnologias e negócios da Honda.
     
  • Com base em sua política de utilizar métodos de financiamento externo conforme a necessidade, a Honda emitiu Títulos Verdes totalizando US$ 2,75 bilhões em março deste ano. Ao alocar os recursos desses Títulos Verdes para o desenvolvimento e produção de veículos de emissão zero, como EVs e FCVs, a Honda acelerará ainda mais nossas iniciativas para a realização de uma sociedade que visa o impacto ambiental zero.

5. Modelos esportivos

Ao enfrentar desafios em direção à neutralidade de carbono e eletrificação, a Honda sempre tem a paixão de oferecer DIVERSÃO para seus clientes. A “alegria de dirigir” será transmitida aos nossos modelos mesmo na era da eletrificação, e a Honda apresentará globalmente dois modelos esportivos, um modelo especializado e um modelo flagship, que incorporarão a mentalidade esportiva universal e as características distintivas da Honda.

https://chat.whatsapp.com/LrrPXTynqRQ29U4yd38XTI

Sobre a Honda no Brasil: Em 1971, a Honda iniciava no Brasil as vendas de suas primeiras motocicletas importadas. Cinco anos depois, era inaugurada a fábrica da Honda Motos, em Manaus, que completou 45 anos em 2021, ao lado da CG, o veículo mais vendido do Brasil. De lá para cá, a unidade produziu mais de 26 milhões de motos, além de quadriciclos e de motores estacionários que formam a linha de Produtos de Força da Honda no País, também composta por motobombas, roçadeiras, geradores e cortadores de grama. Para facilitar o acesso aos produtos da marca, em 1981 nasceu o Consórcio Honda, administradora de consórcios referência no mercado nacional, que faz parte da estrutura da Honda Serviços Financeiros, também composta pela Seguros Honda e o Banco Honda. Dando continuidade à trajetória de crescimento, em 1992 chegavam ao Brasil os primeiros automóveis Honda importados e, pouco tempo depois, em 1997 a Honda Automóveis do Brasil iniciava a produção, em Sumaré (SP). A segunda planta de automóveis da marca, construída na cidade de Itirapina (SP), foi inaugurada em 2019 e concentra, atualmente, toda produção dos modelos locais, enquanto a unidade de Sumaré se consolida como centro de produção de motores e componentes, desenvolvimento de produtos, estratégia e gestão dos negócios do grupo Honda. Atualmente, 2 milhões de automóveis da marca já foram produzidos em solo nacional. Durante esses anos, a empresa também inaugurou Centros Educacionais de Trânsito, de Treinamento Técnico, de Distribuição de Peças e de Pesquisa & Desenvolvimento. Estruturou uma rede de concessionárias hoje composta por aproximadamente 1.300 endereços. Em 2014, em uma iniciativa inédita no segmento, a Honda inaugurou seu primeiro parque eólico do mundo, na cidade de Xangri-Lá (RS). O empreendimento supre toda a demanda de energia elétrica das plantas de automóveis no interior de São Paulo e do escritório na capital paulista, reduzindo os impactos ambientais das operações da empresa. Em 2015, a Honda Aircraft Company anunciou a expansão das vendas do HondaJet, o jato executivo mais avançado do mundo, para o Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.