Como funciona a decodificação do Sistema de proteção transponder

Decodificação do Sistema – Atualmente, praticamente todos os veículos, sejam carros, motos e caminhões fazem uso de um sistema imobilizador, esse sistema garante a segurança na partida do veículo. Para que a ignição seja ligada, é necessário que todos os componentes do sistema imobilizador estejam emparelhados. A autenticidade no momento da ignição envolve não somente a parte mecânica da chave, como também os dados contidos nela.

Esses dados ficam armazenados em um chip, chamado campo-eletromagneticotransponder que está localizado dentro da cabeça de plástico da chave. Esta tecnologia é conhecida também como RFID (Identificação por Rádio Frequência).

No momento em que girar a chave, alimenta-se o sistema eletrônico enviando pelo imobilizador, computador de bordo, painel, ECU, um sinal modulado com informações para a antena do veículo. Esse sinal de RF (Rádio Frequência) é enviado para o transponder com uma frequência de 125KHz ou 134KHz, modulando os dados a serem transmitidos usando a codificação ASK (Modulação por chaveamento de amplitude) ou FSK (Modulação por chaveamento de frequência).

Esse sinal modulado, contém comandos de leitura e comandos de checagem de dados, ele também alimenta o circuito eletrônico do transponder. Essa alimentação é feita através de um princípio físico de indução de campo eletromagnético.

CRIPTOGRAFIA E PROTOCOLOS DE COMUNICAÇÃO

Depois de alimentado, o transponder responde ao veículo com os seus dados. Na maioria das vezes esta comunicação é criptografada, para dificultar o processo de partida do veículo por meios ilícitos.comando de leitura

O transponder é constituído de uma memória interna, onde ficam armazenados os dados como o serial, também conhecido como ID (identificador), que é variável para cada chave. Também são armazenados os dados referentes à criptografia do transponder e suas configurações. Alguns transponders têm a forma de CI (circuitos integrados), e também a capacidade de armazenar os dados referentes tanto ao transponder quanto ao de telecomando. A imagem abaixo mostra os dados na memória de um transponder Philips PCF7936 ID46, o campo de informações de telecomando está desabilitado pois esse não tem a função de telecomando integrado.

Transponders Crypto (Criptografado): capa3

Ao ligar a ignição, o sistema de segurança do veículo e o transponder trocam informações criptografadas. A chave de criptografia do transponder não pode ser lida, porém é feito um cálculo com essa chave e transmitido ao dispositivo leitor (veículo). O veículo recebe os dados, descriptografa e verifica a autenticidade do transponder.

Transponders protegidos por senha: Um simples processo de autenticação mútua pode ser providenciado por transponders protegidos por senha. O veículo precisa ter a senha do transponder, para que o transponder libere as informações, ou simplesmente confirme a senha, para liberar ou não a partida do veículo.

Sistemas de código fixo:

Estes sistemas são usados nos veículos mais antigos. Durante a inicialização, são apresentados ao controlador diferentes códigos de identificação que estão armazenados nos transponders que pertencem ao veículo. Quando o motorista coloca a chave na ignição, o transponder de código fixo é lido e tem seu código comparado aos códigos que estão em sua memória.

capa4Sistemas de código rolante: Estes sistemas operam da mesma forma que o de código fixo, exceto que o código secreto da chave só é valido durante um período de tempo, tipicamente de um ciclo de ignição para outro. O controlador do sistema de segurança reprograma o transponder (que é escrita/leitura) periodicamente. O segredo é mudado, mas em termos de criptografia o procedimento ainda é uma autenticação estática. Para garantir a confiabilidade do sistema, procedimentos de ressincronização precisaram ser implementados no caso de a programação do transponder falhar ou o transponder ser reprogramado por engano enquanto estiver longe do veículo. Geralmente, estes processos de ressincronização são os processos mais críticos nestes sistemas.

Decodificação do Sistema Decodificação do Sistema