Tudo que você precisa saber sobre correias

Parte 8 – Tensionadores e Polias; Problemas Mais Comuns e Dicas

você precisa saber sobre correias – Na edição passada o Brasil Mecânico começou a falar sobre Tensionadores e Polias. Mostramos a funcionalidade desse tipo de correia e detalhamos sua composição e características.

Agora, traremos para você, reparador, os problemas mais frequentes e dicas para evita-los ou corrigi-los.
Fique atento e não perca a chance de tirar algumas dúvidas, relembrar ou até aprender alguma cosia. Confira:

TORQUE EXCESSIVO NA MONTAGEM:

Uma prática, infelizmente, muito comum, mas que causa muitos problemas e transtornos, é a aplicação de torque excessivo na montagem do tensionador.
Tal prática prejudica, deforma e inutiliza o tensionador. Apesar de parecer baixo, o torque recomendado para parafusos e prisioneiros de 8 mm, é de 2,5 a 3,0 Kgfm, na grande maioria dos casos.

Exemplos:

Suporte Tensionador Motores FIAT 1.6 16V

TO DYT 240 é aplicado nos veículos Fiat como Palio, Palio Weekend, Strada, Brava, Doblò, Marea, Marea Weekend e Siena.
Suporte de fixação, peça estacionária do tensionador, parafusada ao bloco do motor. Diferente dos demais tensionadores este não é preso diretamente ao bloco do motor.
Faça sempre a verificação da parte traseira do suporte retirando-o. Observe se não há deformação no rasgo do oblongo e se a cabeça losango do parafuso percorre todo o rasgo. Avarias e empenamento no suporte e empenamento do parafuso podem desalinhar o tensionador e fazer com que a correia trabalhe ‘fugindo’ das polias, desgastando-se lateralmente.
O desgaste lateral enfraquece a correia, até que se rompa e cause sérios danos às válvulas e ao cabeçote, além, claro, da imediata parada do motor.
Substitua o suporte e o parafuso se for verificada qualquer avaria.
Atenção: o parafuso deve estar a 90° em relação ao suporte e sua cabeça deve percorrer todo seu alojamento.

Suporte Tensionador Motores FIAT 1.6 16V

Outro erro muito comum, é a montagem invertida do tensionador de motores Fire 16V.
Acima podemos ver a posição correta de fixação do tensionador no motor, de acordo com cada face. A montagem invertida deforma o mecanismo do tensionador, provocando o desalinhamento da correia e seu desgaste irregular, seguido de sua ruptura.

SENTIDO DE TENSIONAMENTO E FINAL DE CURSO:

Tensionador de motores RENAULT 1.0 16V (D4D)

Presente na Peugeot no modelo 206 e na Renault, nos modelos Clio, Kan-goo, Logan e Sandero, este motor 1.0 16V tem uma particularidade em relação a seu tensionador, que pode causar problemas.
Na operação de tensionamento deste modelo de motor, deve-se girar o tensionador no sentido anti-horário e atentar para o alinhamento dos ponteiros. Ao atingir tal ponto, deve-se imobilizá-lo pelo parafuso. Ao contrário da maioria dos sistemas, a correia não oferece limite de tensionamento, ou seja, passando-se do ponto de alinhamento dos ponteiros, o tensionador passa em falso, continua a girar e vai de encontro ao cabeçote (foto), tendo seu movimento bloqueado. A correia passa a girar sobre o tensionador parado e desgasta-se fortemente, vindo até a desintegrar-se.

Procedimento e instalação:

  • Siga corretamente as instruções de instalação no verso da embalagem;
  • Não reutilize as correias removidas;
  • Você poderá utilizar uma das duas opções de ferramentas para instalação: ferramenta descartável e a ferramenta universal.

Próxima edição:

O Brasil Mecânico traz, mensalmente, tudo sobre Correias em um manual imperdível produzido pela Dayco, referência mundial. Na próxima edição traremos mais um material que você não pode perder!

você precisa saber sobre correias

Edição de Março:
Tensionadores de Correias Poly V
Parte 9

Este manual é fornecido pela Dayco, especialista em correias automotivas.

Fechado para comentários.