Banco de couro exige cuidados específicos

Quando o assunto é a limpeza do banco de couro automotivo, muitos proprietários acabam caindo em uma pegadinha. Por ser mais resistente, muitos acreditam que exige menos cuidados que o de tecido. Porém, é bom que fique claro que se não for feita a manutenção da forma adequada, o couro pode rachar e até desbotar com o tempo. Certamente isso é uma coisa que prejudica o aspecto do seu carro e é por isso que o Brasil Mecânico resolveu trazer esse material com dicas da Easy Carros sobre higienização desse tipo de material.

Como limpar o banco de couro do seu carro?

Antes das medidas mais diretas para manutenção do couro, é preciso ter alguns cuidados com a limpeza. Isso porque a tintura da roupa, suor, chaves, poeira acumulada e até o transporte de crianças que costumam deixar alimentos cair sobre os bancos criam uma camada de sujeira que precisa ser removida.

Para isso, utilize uma esponja macia e sabão ou detergente neutro diluído em água. Nas partes da costura, que apresentam sujeiras mais difíceis, você pode utilizar uma escova esfregando gentilmente, com o cuidado de não danificar o revestimento. A secagem deve ser feita com um pano seco.

Se o revestimento apresentar manchas difíceis, muito provavelmente, será necessária a limpeza por um profissional. Nunca use produtos abrasivos ou força excessiva para tentar removê-las, isso poderá danificar o banco do seu carro.

Após a limpeza, o couro estará pronto para receber a hidratação – o que impede que o material rache ou fique com aspecto de envelhecido!

Qual o tipo de hidratante você deve escolher?

Especialistas indicam que quanto mais refinado for o hidratante, melhor será absorção do couro. Além disso, dê preferência a hidratantes líquidos de boa qualidade, pois eles espalham mais facilmente e de maneira uniforme.
Outro ponto importante a se observar é o cheiro do produto. Embora a fragrância dure poucos dias ou semanas, não será agradável conviver com um odor forte ou que não agrade seu olfato.

Como fazer a aplicação do hidratante?

 A hidratação deve ser feita de maneira homogênea. Então o correto é espalhar o hidratante em quantidades iguais por todo o revestimento do couro.

Deixe agir por cerca de 40 minutos. Após esse tempo, se você notar pontos com maior concentração de produto, passe uma flanela seca para remover os excessos.

 Para não errar, dê preferência a uma hidratação realizada por um profissional a cada dois meses, pelo menos.

É correto usar creme corporal para hidratar o couro?

Muitas pessoas fazem uso de cremes corporais para hidratar o couro automotivo. Embora seja comum escutar que o resultado é bom e barato, essa prática não é aconselhada por especialistas.

Ocorre que o creme corporal é um cosmético com funções distintas aos produtos desenvolvidos para aplicação no couro do seu carro. E o motivo é bem simples: a pele humana é diferente do couro automotivo.

Cremes corporais não realizam bem a limpeza e uma hidratação profunda. E o pior podem deixar o banco com aspecto melado e escorregadio, reduzir sua vida útil, acumular resíduos e também exalar componentes que engorduram os vidros.

Embora os cremes corporais perfumem o carro e passem uma falsa sensação de limpeza e hidratação, dê preferência a produtos automotivos que cumprem a função e entregam melhores resultados.

A hidratação do couro deve ser feita de quanto em quanto tempo?

O prazo recomendado para a hidratação do couro automotivo varia de acordo com a região do país e a cor do revestimento.

Regiões de clima quente exigem o uso constante do ar condicionado, que retira umidade do ar e tende a ressecar o couro. Para esses casos, o recomendado é fazer a hidratação a cada 2 meses.

Para regiões de climas mais amenos e úmidos, a hidratação pode ser feita a cada 4 meses.

Se a tonalidade do couro for mais clara, pode ser necessário uma limpeza semanal. O que diminui também o período de tempo para hidratação.