Capacitação na oficina Gasto ou investimento?

Veja como um profissional mais capacitado pode mudar a forma como sua oficina se relaciona com os clientes e oferece serviços.

Um cenário que todo gestor já deve ter vivido em algum momento se refere à percepção sobre o desenvolvimento dos reparadores que trabalham em sua oficina. Pode ser com aquele profissional que por estar em início de carreira ou por não ter tido uma formação completa, tem uma limitação em seus conhecimentos e que poderia fazer bom uso de alguns cursos de capacitação. Assim como há, também, aqueles que, mesmo sem uma formação tão extensa, conseguem desenvolver um trabalho tão bom que com alguns cursos específicos se tornariam profissionais completos e de destaque.

No meio dessas impressões surge a dúvida na cabeça do gestor: o que fazer a respeito? Oficinas mecânicas têm algumas peculiaridades que tornam mais difícil a decisão de investir na capacitação de um profissional. Seja a alta rotatividade típica do setor, seja a falta de tempo e às vezes até mesmo a falta de interesse do funcionário. Afinal, para que gastar dinheiro em um colaborador fora da oficina?

O Brasil Mecânico traz algumas referências para você, gestor – e também reparador -, ter uma noção maior sobre o que envolve a capacitação do profissional de reparação, como pode impactar no dia a dia da sua oficina, na sua relação com o colaborador e no valor agregado ao seu negócio. Tentamos deixar mais claro se é um gasto ou um investimento. Fique atento à essas dicas e veja se vale a pena para você!

 Benefícios diretos

Funcionários capacitados são essenciais para que as metas de qualquer oficina sejam cumpridas plenamente. Profissionais sem a instrução adequada não entregam tudo que podem e ainda colocam em risco, entre outras coisas, a imagem do estabelecimento.

Lembrando que, há também a introdução dos princípios e método de trabalho da oficina. Por mais que o reparador possa tentar, é fundamental que você apresente a ele qual o padrão adequado de trabalho na oficina. Pode parecer pouco, mas com as mudanças de uma empresa para a outra, bons e maus hábitos podem se tornar normais para o mecânico.

Quem vai trabalhar na sua oficina

Tão importante quanto o conhecimento prático do reparador que vai trabalhar para você é conhecer o seu perfil de comportamento. Para começar a falar sobre capacitação, é fundamental ter uma seleção adequada e contar com funcionários que representem o que você espera para o seu negócio.

Características como: responsabilidade, comprometimento, pontualidade, disponibilidade para evoluir, estabilidade em empregos anteriores e educação para lidar com os clientes devem estar no topo da sua lista de desejos quando for captar um funcionário novo. Isso vai determinar bastante sobre o perfil da sua oficina e se vale a pena investir no desenvolvimento de determinado profissional.

Profissional qualificado = Ampliação dos lucros

A lucratividade trazida pela capacitação pode ser sentida de diversas maneiras e de forma bem básica. Mecânicos capacitados demoram menos tempo para executar tarefas simples, o que garante mais tempo para realizar outras atividades mais específicas.

Além disso, o treinamento possibilita a ampliação dos serviços oferecidos, algo que pode gerar mais lucro para os negócios.

Valor agregado

Mais serviços oferecidos geram mais faturamento, mas também ajuda no aumento da competitividade da oficina. Isso porque, oferecer mais recursos pode te levar a alcançar ou até superar um determinado concorrente.

Atendimento melhor

Quem trabalha com oficina sabe que o atendimento ao cliente é o principal cartão de visitas. Aqueles que não sabem se relacionar bem com a clientela e atendê-los da melhor forma possível costumam ter uma rotatividade grande entre seus clientes.

Por isso, uma boa capacitação que se pode oferecer aos seus colaboradores são os treinamentos de atendimento. Eles são importantíssimos para conquistar clientes, algo que eleva a satisfação geral e pode até mesmo estimular recomendações.

Colaboradores mais identificados e profissionais

Qualquer empresa necessita de funcionários capacitados e atualizados para se tornarem mais eficientes em suas atividades para garantir o crescimento dos negócios.

Em uma oficina, por exemplo, o treinamento permite que você acompanhe as tendências do mercado, tenha mecânicos atualizados em relação aos problemas específicos e utilize equipamentos e peças de ponta.

Rotatividade menor

Uma ótima forma de manter seus funcionários motivados é dando oportunidade de crescer profissionalmente. Oferecer essa oportunidade, além de ser um agregador de valor à sua oficina, é tida, normalmente, como um diferencial na relação com o colaborador que tende a valorizar a sua empresa como uma oportunidade de desenvolvimento profissional.

Os talentos de uma empresa estão sempre dispostos a se atualizarem. O negócio que investe pesado em capacitação conta com profissionais mais satisfeitos e que estimam o próprio emprego.

Vale lembrar que a rotatividade gera muitos custos, principalmente os referentes aos direitos trabalhistas. Essas despesas paralisam o crescimento do negócio, pois o capital que poderia ser usado para investir está sendo transferido para gastos com indenizações e rescisões.

Em uma oficina mecânica, contar com mecânicos excelentes é fundamental para a sobrevivência do seu estabelecimento. Mas como incentivar seu pessoal a treinar para que eles se tornem muito melhores no que fazem?

  1. Ir além da parte técnica

Muitos gestores de oficinas confundem capacitação com ensinar a execução de uma determinada tarefa, mas não é. Pelo menos, não só isso. O treinamento deve ir muito além disso, servindo para inteirar cada departamento (atendimento, vendas e manutenção) e, dessa forma, criar um trabalho mais eficiente entre eles.

  1. Todo mundo tem uma dificuldade

Sai na frente aquele gestor que identifica com mais facilidade as deficiências de cada profissional. Se ainda na captação do talento forem identificados os pontos a melhorar os resultados serão mais rápidos e contundentes.

Os demais pontos carecem de acompanhamento diário, avaliação de relatórios de metas, avaliações de desempenho e histórico de dúvidas e reclamações. Esses dados devem ser coletados pelos responsáveis pelo treinamento. Assim, é possível direcionar a capacitação para os assuntos que precisam ser reforçados pela equipe.

  1. Cursos de qualidade

A internet é uma ótima aliada na hora de conseguir cursos de qualidade, inclusive grátis. Um exemplo bom, é a Academia do Motor, que atualmente oferece 3 cursos: montagem de motor, processo de retífica e desmontagem de motor. Outra forma de manter os profissionais atualizados são as próprias montadoras. Elas têm oferecido cada vez mais materiais sobre seus veículos e oferecido trabalhos específicos para as reparadoras independentes. A Ford e a Volkswagen são ótimos exemplos.

Já para treinamentos presenciais, não se esqueça de oferecer material escrito, como um manual, que seja completo, detalhado e tenha uma linguagem acessível e didática para facilitar o entendimento.

Fechado para comentários.