Gás ozônio neutraliza novo coronavírus, garantem cientistas japoneses

A aplicação de gás ozônio em baixas concentrações pode neutralizar partículas do novo coronavírus em ambientes, afirmaram pesquisadores da Universidade de Fujita, no Japão. Com esta notícia extremamente positiva dos cientistas japoneses, a aplicação de gás ozônio para sanitizar ambientes, chamada oxi-sanitização, passa a ser reconhecida também como ferramenta importante no combate à pandemia do novo coronavírus.

No Brasil, a Interozone é pioneira em oxi-sanitização, realizada por meio de geradores capazes de converter o Oxigênio (O2) circulante de um ambiente em Ozônio (O3), gás limpo com ação germicida e fungicida altamente destrutiva de bactérias, fungos, ácaros, mofos e odores. Trata-se de processo aplicado pela Interozone para descontaminação de ambientes, veículos, residências e alimentos. Agora, a oxi-santização passa a incluir também o combate ao coronavírus, em particular no setor de saúde.

O hospital da Universidade de Fujita instalou geradores de ozônio para reduzir as infecções em salas de espera e consultórios, exemplo que pode ser seguido por hospitais no mundo todo. Outra pesquisa recente, do Instituto de Tecnologia da Geórgia, revelou também que o ozônio pode ser eficiente para desinfetar aventais, óculos e outros equipamentos médicos de proteção. O ozônio é reconhecido há décadas, por cientistas, por seu alto poder de anular muitos patógenos.

Experimento dos cientistas japoneses

Os cientistas da Universidade de Fujita asseguraram, em entrevista coletiva (em 26/08/20), que conseguiram provar que o ozônio, em concentrações de 0,05 a 0,1 parte por milhão (ppm), nível considerado inofensivo ao ser humano, pode eliminar o vírus. No experimento japonês, foi utilizado um gerador de ozônio dentro de uma câmara selada com amostra de coronavírus. Quando foi submetido a baixos níveis de ozônio durante dez horas, a potência do vírus caiu mais de 90%. De acordo com o pesquisador-chefe Takayuki Murata, “a transmissão do novo coronavírus pode ser reduzida por um tratamento contínuo de ozônio em baixa concentração, mesmo em um ambiente com a presença de pessoas”.

Para Nivaldo Benassi, diretor da Interozone, cada ambiente e atividade desenvolvida no local que recebe a oxi-sanitização exige um projeto específico. “A Interozone é especialista na geração de ozônio em ambientes com a presença de pessoas. É preciso uma avaliação do ambiente para saber qual a carga correta da aplicação de ozônio, bem como a duração da aplicação, entre outras avaliações. Por isso, desenvolvemos projetos sob medida para cada ambiente e atividade”, explica Nivaldo.

 gás ozônio, Universidade de Fujita

Com experiência de 20 anos em oxi-sanitização no Brasil, a Interozone se coloca à disposição para detalhar e subsidiar com informações interessados em conhecer ou em aplicar o processo de sanitização via aplicação de gás ozônio em ambientes.

Sobre a Interozone

Fundada em 2001, a Interozone Brasil é pioneira em tecnologia, produção e comercialização de linhas de geradores de ozônio direcionados à oxi-sanitização, processo de descontaminação de ambientes, veículos, residências e alimentos. A Interozone fornece serviços e equipamentos de oxi-sanitização certificados pela ANVISA a todas as montadoras do País, a hipermercados, ponto de varejo e atacado de alimentos, a agroindústrias, a hotéis e residências. Com sede em São Paulo há 20 anos, a Interozone conta com espaço fabril e laboratórios próprios de inovação.

Fontes: nterozone