Daimler Buses apresenta ônibus urbano de condução autônoma do futuro

A maior fabricante de ônibus do mundo, a Daimler Buses, constantemente promove inovações tecnológicas. Isso está novamente demonstrado pelo Mercedes-Benz Future Bus com CityPilot, o ônibus urbano que rodou pela primeira vez de forma autônoma numa rota de aproximadamente 20 quilômetros nas proximidades de Amsterdam, na Holanda. Num trecho da maior linha de BRT (Bus Rapid Transit) da Europa, o inovador veículo anda em velocidades de até 70 km/h, com precisão de centímetros nos pontos de embarque e semáforos. O veículo sai automaticamente, atravessa túneis, freia ante os obstáculos e pedestres e se comunica com os semáforos. O motorista continua presente e monitora o sistema, mas tem uma tarefa muito mais fácil do que antes.

Dr. Wolfgang Bernhard, membro do Conselho de Administração da Daimler AG e responsável pela Daimler Trucks & Buses: “Há quase dois anos, mostramos com nosso Highway Pilot que a condução autônoma tornará o transporte por caminhões em longas distâncias mais seguro e mais eficiente. Agora, estamos colocando esta tecnologia em nossos ônibus urbanos com o CityPilot. Este sistema é um desenvolvimento avançado do Highway Pilot, especialmente voltado às grandes cidades. Ele nos permite andar de forma parcialmente autônoma em faixas de ônibus especialmente demarcadas. Isso torna o transporte público mais seguro, eficiente e produtivo. Mais pessoas podem se deslocar de A para B com mais velocidade, pontualidade e conforto. Para benefício de todos: frotistas, motoristas e passageiros de ônibus”.

O primeiro passo rumo a uma condução totalmente automatizada com ônibus urbano consiste em linhas BRT com faixas exclusivas. O Mercedes-Benz Future Bus reconhece se a via é adequada para condução autônoma e informa ao motorista, que precisa apenas pressionar um botão para ativar o CityPilot. Uma condição fundamental é que ele não pressione o acelerador e nem o pedal do freio e também não movimente o volante, pois qualquer uma de suas operações se sobrepõe ao CityPilot. Aliás, o motorista tem sempre a responsabilidade sobre a condução e pode assumir o comando a qualquer momento.