Semieixos podem sofrer desgaste até quebra e comprometer a transmissão do veículo

Parte do sistema de transmissão, os semieixos são elementos mecânicos fundamentais ao funcionamento dos veículos, podendo ser, basicamente, de dois tipos: homocinéticos ou rígidos.

Utilizado em veículos leves e vans, o homocinético é responsável por fazer a ligação entre o diferencial e as rodas e assim, transmitir a energia gerada pelo motor para as rodas, além de permitir o esterçamento, geralmente é utilizado em veículos com tração dianteira.

Já o semieixo rígido é utilizado em veículos com tração traseira, como picapes, caminhões e ônibus, não permite esterçamento. “Fatores extremos, choques, trancos e cargas excessivas podem provocar desgaste e até a quebra de semieixos. Por isso, é preciso ter cuidado para não comprometer componentes da transmissão”, afirma Jair Silva, gerente de qualidade e serviços da Nakata, especialista nos componentes para suspensão de veículos pesados.

Segundo Silva, é comum ocorrer a quebra do semieixo, principalmente por excesso de carga ou tranco, no caso dos semieixos homocinéticos o mais comum é o desgaste das homocinéticas por falta de inspeção periódica das coifas de proteção.

Caso necessite ser substituído, a recomendação é utilizar produto com padrão de qualidade e tecnologia original para não causar transtornos ou paradas indesejadas do veículo.

Segundo Silva, é comum ocorrer a quebra do semieixo, principalmente por excesso de carga ou tranco, no caso dos semieixos homocinéticos o mais comum é o desgaste das homocinéticas por falta de inspeção periódica das coifas de proteção.