Guia de sobrevivência: Cinco coisas que você precisa saber seu veículo

Guia de sobrevivência – Você não precisa ser um expert em carros para ser um bom motorista ou para cuidar do seu próprio veículo. Mas, convenhamos, quem conhece o funcionamento de um automóvel está melhor preparado para lidar com imprevistos. Pensando nisso, o Zul+, principal AutoTech da América Latina, separou cinco pontos para você se atentar e saber sobre seu veículo.

Lembrando que com o aplicativo Zul+ é possível registrar todas as manutenções do veículo, e prever os futuros reparos de acordo com seu histórico de manutenções.

Quando trocar o óleo do carro?

O óleo lubrificante é um item fundamental para o funcionamento do automóvel. Ele ajuda a reduzir o atrito entre as partes móveis e contribui para manter a temperatura de funcionamento do propulsor, garantindo assim o bom funcionamento do motor.

A troca de óleo varia de acordo com o tipo de motor, modelo ou marca do veículo. Porém, no geral, podemos pensar que, em casos de carros antigos, a melhor opção é fazer a substituição a cada 5 mil km e observar o desempenho do motor. E, no caso de automóveis novos, o intervalo entre as trocas pode ser a cada 10 mil km ou após 1 ano de uso, o que acontecer primeiro. Na hora de escolher o óleo, procure utilizar o que é recomendado no manual do veículo.

Se atente a bateria do veículo

Levantou para trabalhar, virou a chave e o carro não pegou? Saiba que um dos motivos mais comuns para que isso aconteça é a bateria estar descarregada. Apesar de ter uma vida útil longa, é preciso ter alguns cuidados com esse componente do carro, como, por exemplo, evitar deixar algum acessório elétrico ligado quando o automóvel não estiver em movimento. Faróis, rádio e, até mesmo, a ventilação podem consumir grande quantidade da carga elétrica quando o carro está parado. Para saber se a bateria precisa passar por algum conserto ou, até mesmo, ser trocada, observe se ela está descarregando com frequência, exalando um cheiro forte e confira os polos.

Coloco álcool ou gasolina?

Com a recente alta nos preços dos combustíveis , essa é uma das principais dúvidas que os motoristas buscam sanar. Para solucioná-la, basta utilizar a regra usada como referência para o cálculo de combustível que considera que o etanol tem desempenho médio de 70% em relação à gasolina. Dessa forma, basta multiplicar o preço da gasolina por 0,7 no momento em que for abastecer para descobrir se o etanol é mais vantajoso.

Se o resultado obtido for maior do que o preço do litro de álcool anunciado no posto, compensa mais abastecer o veículo com álcool porque demonstra que a gasolina está mais cara em relação ao álcool. Agora, caso o preço da gasolina seja menor, compensa mais abastecer com gasolina.

Manutenção e revisão

É comum que algum componente do automóvel se desgaste em silêncio e esse problema só pode ser resolvido com uma manutenção preventiva. A recomendação é que isso seja feito, em geral, a cada seis meses ou a cada dez mil quilômetros rodados.

Entre os itens que serão checados neste momento, estão: balanceamento, rodízio de pneus, correias do motor, geometria, radiador, óleo, lâmpadas, filtro de ar, velas e escapamento. Pode ser (ou não) que esse momento também coincida com a troca de óleo, então fique atento a isso também.

Outros “detalhes”

Tem coisas que podem parecer banais, mas vale a pena estarmos sempre atentos. Um exemplo disso são as palhetas do limpador do seu para-brisa. O uso constante desse componente pode fazer com que o vidro seja riscado, então, assim que notar falhas na limpeza, faça a substituição. A troca é simples, rápida e não é cara. Tem coisas que podem parecer banais, mas vale a pena estarmos sempre atentos. Um exemplo disso são as palhetas do limpador do seu para-brisa. O uso constante desse componente pode fazer com que o vidro seja riscado, então, assim que notar falhas na limpeza, faça a substituição. A troca é simples, rápida e não é cara.

Guia de sobrevivência