Problemas com os ângulos de geometria da direção

Ângulos de geometria – Após um reparo em que o veículo tenha sofrido danos fortes em suas partes estruturais, com a remoção de partes ou de todo o eixo dianteiro ou traseiro, ou até mesmo numa simples troca de componentes do sistema de suspensão e direção, é sempre necessário verificar a geometria da direção.

Somente assim será possível ter certeza de que o veículo estará em condições seguras em relação à sua estabilidade em retas e curvas.

Confira o que você pode descobrir nessa verificação:

Cambagem excessivamente positiva

Devido à inclinação da roda excessivamente para fora do veículo, haverá um apoio maior em um dos ombros do pneu, causando um desgaste cônico e liso mais acentuado nos ombros externos. Pode haver ainda um esforço maior nos componentes do sistema de direção devido à tendência das rodas puxarem para fora.

Cambagem excessivamente positiva

Devido à inclinação exagerada para dentro do veículo, haverá um apoio maior em um dos ombros do pneu, causando um desgaste mais acentuado nos ombros internos – onde o maior peso está concentrado. Pode haver ainda um aumento do desgaste do rolamento externo do cubo de roda, devido ao aumento da carga sobre ele.

Cambagem desigual entre o eixo

Caso a cambagem esteja desigual no mesmo eixo, a roda que estiver fora do especificado sofrerá os efeitos descritos acima, e o veículo ainda ficará puxando para o lado da roda que estiver com o câmber mais positivo.

Inclinação irregular do pino-mestre

Terá os mesmos efeitos descritos acima na cambagem, pois vai alterar o câmber, além de deixar a direção mais pesada.

Cáster irregular

Vai provocar um desgaste ondulatório nos pneus, alterando todos os demais ângulos da direção. O veículo ficará instável, com desvios de trajetória durante uma frenagem e com vibrações no volante em certas velocidades.

Convergência excessiva

Devido ao arraste dos pneus, causa um desgaste escamado (chanfrado) a partir dos ombros externos dos pneus dianteiros.

Divergência excessiva

Devido ao arraste dos pneus e instabilidade direcional do veículo, causa um desgaste escamado a partir dos ombros internos.

Divergência em curva

Causa um leve desgaste escamado nos pneus devido ao seu arraste em curvas.

Centralização da direção

O veículo vai esterçar mais para um lado do que para outro, fazendo curvas mais fechadas para um dos lados.

Paralelismo do eixo traseiro

Quando o paralelismo está afetado, as rodas dianteiras ficam divergentes, como se o carro estivesse numa curva constante, causando alterações de câmber e cáster, dificuldade de manter o veículo em linha reta, além de desgaste escamado nos pneus.

Nessa verificação da geometria da direção em mesa alinhadora, deixe os ajustes exatamente nos valores especificados pelo fabricante do veículo – não somente dentro da tolerância que a mesa alinhadora vai informar.

ângulos de geometria